Farol Divino << voltar
autor: Jehanne D´Arc | publicação: 01/10/2018
mensagem: Farol Divino

Mestre Jesus, que a Tua luz venha a nós, neste momento em que trêmulos estamos diante dos acontecimentos que nos chegam do mundo inteiro.

Que este Farol divino possa surgir em cada porto da nossa vida, em cada momento, onde nos descobrimos como seres infinitos ou onde nos encontramos e nos vemos nas deficiências íntimas e nas impurezas que ainda existem e que nos acompanham, penetrando em nossos corpos, em nossa mente e em nossos sentimentos.

O Farol divino nos aquece, nos ilumina, nos direciona a todo tempo, principalmente nestes instantes em que muitas e muitas almas pediram esta grande oportunidade de renovação, de aprendizado e de exercício fluente, a poderem obter um bálsamo às suas construções mentais e aos seus sentimentos conturbados; nestes instantes em que nós, também, trêmulos, inconstantes e difíceis, nos defrontamos com outros tantos irmãos que pululam na esfera em desordens enormes morais ou emocionais.

Nestes instantes temos que buscar este Farol, o Farol eterno, o Farol que vem do alto, Aquele que nos criou, Que nos mantêm, Que nos alimenta - o Pai, o Deus, a Energia Maior, a nos unirmos a Ele como pequenos faróis a poderem ser dispersados por toda essa esfera, trazendo a luz do amor, do discernimento e da verdade.

Sejamos, amigos, pequenos, mas constantes faróis, a podermos ajudar a esse Criador, a esse Deus, a essa Energia Onipotente, Oniciente e a todo esse Contexto Espiritual, direcionado pelo grande Mestre Jesus; que possamos contribuir para que a esfera se potencialize em amor, em discernimento, em companheirismo e em atenção e respeito a todas as almas, porque, nós, nós não fazemos Justiça Divina com nossas mãos. Não. A Justiça Divina vem por si só, através de nós, dentro de uma Lei que nos possibilita um grande exercício íntimo e que está fora do nosso âmbito de manuseio ou de querer. A justiça vem através da Lei de Causa e Efeito que se conforma em cada natureza e em cada situação, contribuindo, a cada tempo, a cada momento, para que essa constância das energéticas espirituais, que somos nós, se estabilize, se equilibre e possa discernir melhor, finalizando a sua caminhada em mais entendimento de quem somos, daquilo que somos e representamos em cada momento de nossas vidas.

A Terra precisa de paz, amigos, precisa da colaboração de cada um de nós dos dois planos, a podermos crescer juntos, ajudar ao nosso Mestre Jesus Que tanto trabalha e colabora na orientação destas tantas movimentações.

Precisamos desta união, precisamos nos alicerçar no bem, no amor, nesta proposta divina da Espiritualidade que vem a nós, que vem a todos em busca de um alicerçamento.

Essa Espiritualidade, muitas vezes, não consegue firmar estes elos, não consegue encontrar a firmeza nas vontades, nos corações e nas mentes.

Ela, percebendo isso, desvia a sua atenção para aqueles que possam sustentar esta grande corrente do bem, na qual todos nós temos que nos alicerçar, porque se essa corrente falhar, hoje, na esfera, estaremos todos oprimidos, entristecidos e sombrios, pois o bem não foi tão forte em nós a nos podermos dizer ovelhas de um rebanho, porque fugimos das nossas responsabilidades, fugimos de uma sequência nítida de respeito e moral.

Mas não é isso que a Espiritualidade pede, não é isso que deseja; não é isso que Jesus nos propõe. Ele nos propõe uma corrente forte, um idealismo divino maior, porque todos somos seres divinos em pretensões inúmeras e diversificadas, pretensões que precisam anular a pequenez da nossa alma, o desequilíbrio das nossas emoções.

Jesus nos pede, irmãos, a força, o alicerçamento a essa corrente do bem, do amor e da paz, traçando todos nós em nossa mente, ao redor da esfera, uma corrente de mãos dadas, cada um de nós num posicionamento forte de luz, de paz e de amor, para que, nitidamente, possa ser percebida em plano espiritual a intenção de cada ser que se dispõe a entender os objetivos da Criação e a proposta nítida do Mestre Jesus, Que veio a nós trazendo o fortalecimento desta corrente, e que, hoje, vê elos frágeis a não se conseguirem sustentar, caindo em fragilidades, em futilidades e em desamor.

Vamos honrar o codinome de filhos de Deus para que possamos também honrar que somos co-criadores. Mas, para isto, é preciso trazermo-nos em tarjas de mais amor, de mais verdade e de mais respeito.

Que essa condição de filhos de Deus, que esse alinhamento nessa corrente de força ao redor da esfera possa permanecer na mente de todos e que, a cada dia, essa corrente se intensifique e cada um de nós, na sua pequena luminosidade, irradie a sua luz a envolver a esfera num grande facho de amor, a que seja visualizado pelo Mestre Nazareno, porque Ele está à frente de nós, Ele nos antecipa em tudo.

Respeitemos Ele, pelo Seu sacrifício e pela Sua Grandiosidade Espiritual.

Jehanne D´Arc
Reunião de Tratamento Espiritual, 21/03/2018, psicofonia de Angela Coutinho.

Busca Por Texto
Arquivo